Diretor Regional da Ciência e Tecnologia afirma que conhecimento científico é utilizado nas tomadas de decisão política
DATA: 26 Outubro, 2018 | HORA: 14:57

“O Diretor Regional da Ciência e Tecnologia defendeu esta manhã, em Ponta Delgada, que o conhecimento científico é “uma ferramenta essencial para a tomada de decisões políticas, especialmente quando estão em causa as áreas naturais e a forma como os recursos são economicamente explorados”.

Bruno Pacheco afirmou que as ilhas são “um caso especial”, por terem “áreas e recursos limitados, ecossistemas específicos, com maior vulnerabilidade a alterações climáticas e económicas”, apontando, por isso, o conhecimento científico como “fundamental” no apoio à decisão e à definição de estratégias relacionadas com os recursos naturais.

O Diretor Regional falava na sessão de abertura da conferência internacional ‘Marine Research and Knowledge in support of Policy Making and Society. Deep Sea Research as a Case Study’, no âmbito da Reunião Geral Anual da Associação EurOcean, organizada em parceria com o Governo dos Açores.

Bruno Pacheco assegurou que o Executivo açoriano, através de vários departamentos, “apoiou financeiramente e esteve ativamente envolvido em vários projetos de investigação que resultaram, ou espera-se que resultem, na recolha de conhecimento científico para apoio à gestão dos nossos recursos naturais”.

No caso da Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, que integra as direções regionais dos Assuntos do Mar, das Pescas e da Ciência e Tecnologia, bem como o Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, “grande parte dos apoios financeiros destinaram-se a projetos de investigação sobre recursos costeiros, o oceano e o mar profundo”, referiu.

Neste sentido, o Diretor Regional apontou os projetos europeus ‘Mistic Seas I e II’, o ‘MapGES’ ou o ‘INDICIT’, alinhados com a Diretiva-Quadro Estratégia Marinha da União Europeia, o ‘MarSP’ e ’GPS Açores’, que promovem investigação científica sobre o ordenamento do espaço marítimo, o ‘SIMSEA’ e o ‘EcoDiveAz’, relacionados com a gestão sustentável dos recursos marinhos, o ‘POPA’, o ‘COSTA’ e o ‘ARCDAÇO’, ligados aos recursos piscícolas e à atividade da pesca, e ainda o ‘AquaLab’, ligado à aquacultura.

“Através destes projetos de investigação, o Governo dos Açores reuniu o conhecimento científico que tem sido utilizado como ferramenta de apoio à decisão política e vai continuar a fazê-lo”, garantiu Bruno Pacheco.

A conferência ‘Marine Research and Knowledge in support of Policy Making and Society. Deep Sea Research as a Case Study’ pretende colocar à discussão a importância do conhecimento científico enquanto suporte para a decisão política com impacto na sociedade civil e, paralelamente, divulgar os mais recentes desenvolvimentos científicos e tecnológicos, tendo a temática do mar profundo como caso de estudo.

O Governo dos Açores, através do Fundo Regional para a Ciência e Tecnologia, é membro efetivo da Associação EurOcean, que visa recolher, produzir, organizar e fornecer informações sobre temas relacionados com a ciência e a tecnologia marinhas na Europa.

GaCS/GM”

  • Fotos