Bolsas de pós-doutoramento em empresas asseguram transferência de conhecimento e tecnologia, afirma Diretor Regional
DATA: 5 Março, 2020 | HORA: 14:53

O Diretor Regional da Ciência e Tecnologia frisou que a “aposta” do Governo dos Açores no financiamento de bolsas de pós-doutoramento em contexto empresarial é “determinante para assegurar a transferência de conhecimento e de tecnologia entre o sistema científico e as empresas” regionais.

Bruno Pacheco referiu que, “a partir das experiências do cientista com a empresa, enriquecem-se os processos produtivos e os processos de investigação”, salientando que “em mais nenhuma parte do território nacional” estão a decorrer bolsas de pós-doutoramento desta tipologia.

“Foi uma aposta deste Governo nesta legislatura”, disse o Diretor Regional, que falava nos Arrifes, em Ponta Delgada, no âmbito de uma visita de acompanhamento ao projeto de Investigação e Desenvolvimento (ID) em contexto empresarial ‘Medical geology: Azorean volcanic islands as a case-study’.

Este projeto está a decorrer na UNILEITE – União das Cooperativas Agrícolas de Laticínios da Ilha de São Miguel e tem como objetivo a criação de um novo leite naturalmente enriquecido em iodo, a partir da pastagem.

O Diretor Regional referiu este projeto surgiu na sequência de outro projeto de ID em contexto empresarial, o LACTIS, que também foi financiado pelo PO Açores 2020.

Este é um dos seis projetos de bolsas de pós-doutoramento em contexto empresarial que estão atualmente a decorrer nos Açores, sendo quatro deles na área da agricultura, um na área do turismo e um na área do mar, e que correspondem a um investimento de 400 mil euros.

Segundo Bruno Pacheco, as bolsas de pós-doutoramento em contexto empresarial têm como objetivo “criar condições para que o projeto de base científica seja desenvolvido em consonância com os interesses da empresa, melhorando os serviços que a empresa presta, ou os produtos que a empresa desenvolve”.

“A estes seis projetos, somam-se 12 projetos de pós-doutoramento de investigação científica a decorrer na Universidade dos Açores e 24 bolsas de doutoramento que estão a decorrer na Universidade dos Açores e no IMAR”, acrescentou.

O Diretor Regional referiu ainda a linha de financiamento do Governo dos Açores destinada a incentivar o desenvolvimento de projetos de ID em empresas, bem como o incentivo à criação de núcleos de investigação e desenvolvimento em empresas, ambas as medidas ainda abertas.

Bruno Pacheco adiantou que, em breve, vai ser criado o primeiro núcleo de ID na Região, mais concretamente na área das fibras naturais, através de uma parceria entre o INOVA e a empresa Fibrenamics.

Esta visita decorreu no âmbito do Roteiro Ciência Açores 2020, anunciado na semana passada pelo Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, e que, segundo Bruno Pacheco, tem como objetivo promover “o contacto o mais próximo possível com o que está a ser feito no terreno pelos investigadores, pelas empresas e pelas entidades de interface que gerem este tipo de projetos e iniciativas”.

GaCS/GM