Nunca se investiu tanto em ciência nos Açores como hoje, afirma Gui Menezes
DATA: 12 Julho, 2019 | HORA: 15:20

O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia destacou hoje, em Angra do Heroísmo, o facto de terem sido criados nos Açores, pela primeira vez, projetos de investigação de pós-doutoramento em contexto empresarial.

Gui Menezes afirmou que o Governo Regional “assumiu como prioridade o estímulo à investigação e à inovação nas empresas”, tendo canalizado, nesse sentido, “todos os recursos disponíveis no Programa Operacional” para esta área, como é o caso da criação de seis bolsas de pós-doutoramento, que correspondem a um investimento da Região superior a 400 mil euros.

O Secretário Regional, que falava na apresentação dos projetos de pós-doutoramento em contexto empresarial e de assinatura dos contratos, frisou que o Governo dos Açores “tem batalhado e tem estado particularmente empenhado em estimular e promover a investigação aplicada ao tecido empresarial”.

Neste sentido, afirmou que a transferência de conhecimento constitui “um dos principais motores de inovação e de desenvolvimento, essenciais para a competitividade das empresas açorianas e para a economia”.

“Acreditamos que os seis projetos de pós-doutoramento selecionados são projetos geradores de dinâmicas de transferência de conhecimento e que vão trazer mais valias às empresas promotoras”, salientou, congratulando os empresários que “acolheram as jovens cientistas e os seus projetos”.

A criação de bolsas de pós-doutoramento em contexto empresarial insere-se na iniciativa Transfer+, concebida em 2018 pelo Governo Regional, a par de outras medidas na área da ciência, num investimento de 8,3 milhões de euros, previsto no eixo 1 do PO Açores 2020, e que visam uma maior interligação entre a produção científica e a inovação dos centros de investigação regionais com as empresas e com a economia.

Durante a sua intervenção, Gui Menezes fez um balanço do Transfer+, adiantando que, âmbito do primeiro aviso para apoiar projetos de Investigação & Desenvolvimento (ID) em contexto empresarial, lançado em 2016, foram aprovados 10 projetos, que correspondem a cerca de dois milhões de euros.

Ainda no âmbito do apoio à investigação em contexto empresarial, o Secretário Regional lembrou que estão a decorrer várias medidas, nomeadamente a segunda edição de apoio a projetos de ID nas empresas, o apoio à criação de núcleos ID nas empresas, bem como a medida de apoio à internacionalização das empresas, e que correspondem, na totalidade, a um investimento de 3,8 milhões de euros.

Para além destas medidas, Gui Menezes referiu que 2019 marcará o arranque do sistema de financiamento Vales de ID, um “instrumento inovador” de apoio a pequenas iniciativas de PME, que visa apoiar a aquisição de serviços de consultoria em atividades de investigação, desenvolvimento e tecnologia, bem como de serviços de transferência de tecnologia, incluindo a aquisição de Direitos de Propriedade Intelectual e Industrial.

O Secretário Regional destacou que, “nos Açores, nunca se investiu tanto em ciência como se está a investir agora”, acrescentando que o próximo Quadro Comunitário de Apoio, em discussão na Comissão Europeia, prevê um aumento significativo nos apoios à ciência, o Horizonte Europa, constituindo-se como “uma oportunidade muito grande para os centros de investigação” dos Açores.

Gui Menezes adiantou ainda que o Governo Regional está a preparar novos avisos de concurso que se destinam a financiar “projetos de investigação mobilizadores” nas áreas da RIS3 Açores.

No evento hoje realizado na ilha Terceira, foram apresentados três dos seis projetos de investigação de pós-doutoramento em contexto empresarial finalistas, dos quais um visa a criação de leite certificado enriquecido naturalmente com iodo, outro tem como objetivo a valorização biotecnológica de macroalgas açorianas com interesse comercial e o terceiro prevê a produção de produtos lácteos, como queijos e gelados, enriquecidos com substâncias bioativas naturais.

GaCS/GM