Projects

João Filipe Mendes Fernandes
Aplicações da Deteção Remota à Viticultura de Precisão nos Açores.
Area of RIS3: Agricultura, Pecuária e Agroindústria
Institution Center: CITA-A
E-Mail: filmfer@gmail.com
State: ongoing
Objectives:

“A viticultura, como área agronómica recetora dos grandes avanços tecnológicos, aderiu, desde a primeira hora, à agricultura de precisão, em sentido lato. A viticultura de precisão engloba o uso de um conjunto de ferramentas e tecnologias que tem por finalidade ajudar não só os viticultores, mas também os enólogos a tomarem decisões mais fundamentadas numa perspetiva de aplicação de uma gestão mais diferenciada da vinha.
As novas tecnologias geo-espaciais, nomeadamente GPS, GIS, Mapeamento da Colheita, VRT, etc., são uma das vias mais eficientes para garantir uma gestão eficiente de recursos. As parcelas de vinha, mesmo quando plantadas com a mesma casta em toda a sua área, não são homogéneas no espaço, podendo ser, entre outras causas, imputada tal diferença às condições do solo. De facto, algumas causas de variação com maior importância na produtividade e qualidade das uvas são a reserva de água facilmente utilizável do perfil do solo, a tipologia do solo, nomeadamente do perfil cultural, declive, aspeto, assim com os padrões de drenagem. Para além da variabilidade da produtividade, a qualidade das uvas varia no espaço dentro da mesma parcela/casta, o que se torna fundamental para os enólogos preverem a produtividade e qualidade das uvas (Jackson, 2008).
A título de síntese, reforçamos o papel das novas tecnologias de georreferenciação espacial, que se pretendem aplicar à viticultura de precisão nos Açores, nomeadamente na cartografia das vinhas das ilhas do Pico, Terceira e Graciosa, (abandonadas e em produção) a partir de base cartográfica de imagens de satélite validadas com fotografia aérea, estas últimas capturadas com recurso a VANTs, na análise, com recurso a técnicas de deteção remota, do Normalized Difference Vegetation Index (NDVI), da Taxa de Crescimento (Growth Rate), da Área Foliar e da Superfície Foliar Exposta e na elaboração do balaço energético (albedo, radiação de onda curta e longa), assim como o stresse hídrico.”